“Sou eu o guardião do meu irmão?” Gênesis 4:9
LEITURA EXTRA SUGERIDA (Spurgeon): 1 João 3:10-18

Todo o exemplo de Jesus Cristo, a quem chamamos Mestre e Senhor, está na direção de sermos o guardião do nosso irmão; para o que foi a vida de Jesus, senão o altruísmo total? O que foi dito dele na sua morte, mas que “Ele salvou os outros; ele mesmo não se pode salvar”? O próprio fato de haver um Cristo significa que havia um que cuidava dos outros, e o fato de que Nosso Senhor se tornou-se um homem significa que ele amava seus inimigos e veio para salvar aqueles que se revoltaram contra a sua autoridade.

Se formos egoístas, se fizermos da nossa ida para o céu o único propósito da vida, não somos cristãos. Podemos chamar a quem quisermos de Mestre, mas não estamos seguindo Jesus Cristo. As lágrimas que derramas? Mas choras por Jerusalém? As lágrimas por ti mesmo são pobres se nunca há lágrimas pelos outros. Oras e agonizas: mas a tua dor é alguma vez causada por carregar o peso da alma de outros homens? Caso contrário, és tu como ele, cujo nome Getsêmani deve estar sempre ligado em nossas lembranças? Oh, embora tenhamos dado nossos corpos para serem queimados, se não tivéssemos amor pela humanidade, isso não nos beneficiaria nada.

Podemos percorrer um longo caminho, e aparentemente todo o caminho, nos externos da fé cristã, mas ainda somos estrangeiros para a comunidade da qual Jesus é o grande cabeça. Estou certo de que assim é. Não falo a minha própria mente, mas a mente de Cristo. Se ele estivesse aqui, o que diria a qualquer um que se chamasse seu discípulo e ainda assim nunca levantasse a mão ou movesse a língua para arrancar o tição da chama ou salvar o pecador do erro de seus caminhos? Deve ser assim, então: devemos ser guardadores dos nossos irmãos.

PARA MEDITAÇÃO: Não ter uma preocupação genuína com o bem-estar dos outros equivale a cuidar de nossos próprios interesses em vez dos de Jesus Cristo (Filipenses 2:20-21). Seu exemplo nos ensina a agradar aos outros para seu bem, em vez de agradar a nós mesmos (Romanos 15:1-3).

SERMÃO Nº. 1399

Spurgeon, C. H., & Crosby, T. P. (2007). 365 Dias com Spurgeon (Volume 4) (p. 29). Leominster, Reino Unido: Day One Publications.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s